OPORTUNIDADE

Estando politicamente definido que o sistema ferroviário nacional terá de adaptar-se a esta procura, através de requalificações de infraestruturas já existentes ou construção de novas linhas ferroviárias (alta prestação), deve ser equacionado o reposicionamento estratégico dos territórios, cuja situação geográfica os coloca nos nós dentro da rede ferroviária.

 

Com o anúncio da eletrificação da linha da beira baixa (Covilhã-Guarda), a cidade da Guarda ganhará redobrada importância, como local de distribuição de mercadorias, ficando, a norte, como o nó mais próximo da fronteira espanhola.

 

Este facto possibilitará a receção de comboios de maiores dimensões e mais pesados, possibilitando, “à posteriori”, a separação/agregação de mercadorias para norte e para sul do País, potenciando a criação de comboios mais adequados às mercadorias transportadas e multiproduto, diminuindo, de forma expressiva, o trajeto a percorrer para a região sul.

 

Esta possibilidade, promove e garante a libertação de canais horários, sobretudo na linha do norte, entre Coimbra e Entroncamento, aumentando assim a capacidade instalada da rede ferroviária, aumentando a eficácia do transporte ferroviário, a redução do tempo de viagem e respetivos custos, aumentando a competitividade, face a outras soluções de trajeto e modos de transporte.

 

Existindo na cidade da Guarda a PLIE – Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial, considerando as industrias existentes na cidade da Guarda, no distrito e Beira Baixa e atendendo à possibilidade de acesso às linhas de financiamento proporcionadas pelo Plano Junker, aliado às circunstâncias atrás referidas, poderão estar reunidas as condições necessárias para despertar o interesse e a captação de investimento e novos projetos, na área da industria, da logistica e da distribuição.

Show Buttons
Hide Buttons